Fundação Casa de Rui Barbosa
 
  Procurar  
  • principal
  • > Rui Barbosa
  • > cronologia
  • como chegar à Fundação >>

    o legado de Rui Barbosa >>

    Obras Completas >>

    edições seletas >>

    edições avulsas >>

    textos on-line de Rui Barbosa >>

    a biblioteca organizada por Rui >>

    sobre o acervo de Rui  Barbosa >>

    pesquisas ruianas >>

    catálogo de edições à venda >>

    consulta às bases de dados >>

    cronologia (1849-1889)

    Os fatos principais relacionados à vida de Rui Barbosa estão registrados nesta cronologia, organizada para publicação no Jornal de Letras (1º caderno, agosto 1980, p. 4-5) por Rejane M. Moreira de A. Magalhães, pesquisadora da FCRB,  e autora de Rui Barbosa: cronologia da vida e da obra.

    Nesta pagina estão assinalados os acontecimentos de 1849 a  1889 e, na página seguinte, os do período de 1890 até 1923, ano de sua morte.

    1849
    :: 5 de novembro - Nasce Rui Barbosa na então Rua dos Capitães (que depois passou a ter o seu nome), Freguesia da Sé, cidade do Salvador, Bahia. Filho de João José e Maria Adélia Barbosa de Oliveira.

    1854
    ::  Inicia os estudos com o Professor Antônio Gentil Ibirapitanga, seguidor do método português de Antônio Feliciano de Castilho.

    1861
    ::  Ingressa no Ginásio Baiano, do Dr. Abílio César Borges, depois Barão de Macaúbas.

    1865
    ::
      26 de novembro - Profere seu primeiro discurso na solenidade de distribuição de prêmios no Ginásio Baiano, ocasião em que recebe uma medalha de ouro, colocada em seu peito pelo Arcebispo Primaz da Bahia.
    ::  Estuda alemão, por decisão do pai, até atingir a idade mínima permitida para ingresso nos cursos superiores.

    1866
    ::  Matricula-se na Faculdade de Direito do Recife.
    ::  Mora inicialmente no Mosteiro de São Bento (Olinda), mudando-se pouco depois para uma pensão inglesa no Recife, onde aproveita para praticar o inglês.
    :: Toma parte em associações acadêmicas abolicionistas.

    1867
    ::  16 de junho - Morre sua mãe.

    1868
    ::  Transfere-se para a Faculdade de Direito de São Paulo. São seus contemporâneos: Joaquim Nabuco, Castro Alves, Rodrigues Alves, Afonso Pena e o futuro Barão do Rio Branco.
    ::  Estréia na imprensa, colaborando em O Ipiranga, O Independência e Imprensa Acadêmica.
    ::  13 de agosto - Pronuncia seu primeiro discurso político, saudando José Bonifácio, o Moço.

    1869
    ::
      Funda em São Paulo, com Luís Gama, Bernardino Pamplona, Benedito Ottoni e Américo de Moura, O Radical Paulistano.
    ::  12 de setembro - Pronuncia uma conferência abolicionista, "O elemento servil".

    1870
    ::
      28 de outubro - Recebe o grau de Bacharel em Direito pela Faculdade de São Paulo.

    1872
    ::  Inicia-se na advocacia (na Bahia), ao lado do conselheiro Manuel Pinto de Sousa Dantas e Pedro Leão Veloso (pai).
    ::  Estréia no júri.
    ::  Passa a colaborar no Diário da Bahia, onde permanece até 1878.

    1873
    ::  Viaja à Europa, para tratamento de saúde, lá permanecendo durante quatro meses.
    ::  Faz campanhas a favor da liberdade religiosa e da reforma eleitoral.

    1874
    ::  2 de agosto - Pronuncia, no Teatro São João (Bahia), uma conferência sobre eleição direta.
    ::  28 de novembro - Morre seu pai, deixando muitas dívidas, saldadas pelo filho em dez anos de trabalho.

    1875
    ::  Faz campanhas a favor dos escravos, e contra o alistamento militar obrigatório.

    1876
    ::  21 de julho - Pronuncia um discurso sobre o conflito entre o Estado e a Igreja, na sede da Loja do Grande Oriente do Vale dos Beneditinos (Rio).
    ::  23 de novembro - Casa-se com Maria Augusta Viana Bandeira.

    1877
    ::  É publicada a tradução de O Papa e o concílio, para a qual escreve um prefácio tão extenso quanto a própria obra.

    1878
    ::  É eleito Deputado à Assembléia Legislativa Provincial da Bahia.

    1879
    ::
      Deputado à Assembléia Geral Legislativa da Corte.
    ::  17 de março - Pronuncia um discurso sobre a situação liberal, invocando os grandes mestres do parlamentarismo europeu.
    ::  16 de abril - Defende o Gabinete Sinimbu contra o ataque de Silveira Martins, então o maior orador parlamentar do País.

    1880
    ::  Formula o projeto de eleição direta, conhecido como Lei Saraiva.

    1881
    ::
      8 de março - Nomeado membro do conselho Superior de Instrução Pública.
    ::  Aos dez anos da morte de Castro Alves, escreve "O elogio do poeta".

    1882
    ::
      Como relator da Comissão de Instrução Pública, elabora o projeto de reforma do ensino. Apresenta o parecer sobre o Ensino Secundário e Superior.
    :: 23 de novembro - Pronuncia, no Liceu de Artes e Ofícios, o discurso "O desenho e a arte industrial", no qual defende a idéia de que a base da industrialização está no aprendizado do desenho no ensino técnico.

    1883
    ::  Elabora o projeto e apresenta o parecer sobre o Ensino Primário, onde se revela precursor da educação física, do ensino musical, do ensino do desenho e dos trabalhos manuais.

    1884
    ::  31 de maio - Recebe do imperador o título de conselheiro, pelos serviços ao ensino.
    ::  Redige parecer e projeto de lei sobre a emancipação dos escravos (Lei dos Sexagenários).
    ::  Dezembro - Perde a reeleição para a Câmara do Império.

    1885
    ::
      Pronuncia uma série de conferências abolicionistas.

    1886
    ::  É publicada a tradução e adaptação da obra didática Lições de coisas, de Norman A. Calkins.
    ::  Na sessão cívica, no Teatro São José, em São Paulo, pronuncia um discurso em homenagem à memória de José Bonifácio, o Moço.

    1887
    ::  Redige, a pedido do Conselheiro Dantas, o Manifesto dos Generais (questão Militar).
    ::  Prossegue a campanha abolicionista.

    1888
    ::  29 de abril - Pronuncia, no Teatro São João (Bahia), o discurso "Aos abolicionistas baianos".
    ::  13 de maio - É assinada a Lei Áurea.

    1889
    ::  Como redator-chefe do Diário de Notícias, escreve uma série de artigos, vários deles defendendo a federação, os quais posteriormente são reunidos em livro, sob o título Queda do Império.
    ::  9 de junho - Recusa a Pasta do Império, no Gabinete Ouro Preto, por não figurar no seu programa o princípio federativo.
    ::  9 de novembro - No artigo "O plano contra a pátria", prega a necessidade da revolução.
    ::  11 de novembro - Reúne-se com os conspiradores em casa de Deodoro.
    ::  15 de novembro - É proclamada a República. Instala-se o Governo Provisório. Rui é nomeado Ministro da Fazenda e, interinamente, da Justiça. Redige os primeiros decretos da República.
    ::  31 de dezembro - É nomeado o Primeiro Vice-Chefe do Governo Provisório.

    Imprimir
    Voltar ao alto


    Veja também
    > cronologia
    > cronologia (1890-1923)

  • informe
  • |
  • perguntas frequentes
  • |
  • termos de uso
  • |
  • mapa do site
  • |
  • sobre o site
  • |
  • contato
  • |