Procurar  
  • principal
  • > notícias
  •  Saiba Mais >>

    Assessoria de Comunicação >>

    receba o informe quinzenal por e-mail >>

    eventos: programação da Fundação >>

    serviços oferecidos pela Fundação >>

    como chegar à Fundação >>

    Mostra "Sérgio Porto e Stanislaw Ponte Preta, 50 anos depois"


    Clique na foto para ampliar

    A Fundação Casa de Rui Barbosa inaugura a mostra “Sérgio Porto e Stanislaw Ponte Preta, 50 anos depois” no dia 5/12, no hall do edifício sede. Com curadoria de Cláudia Mesquita, a pequena mostra tem como objetivo homenagear Sérgio Porto e é uma oportunidade de o público conhecer, ou relembrar, aspectos da trajetória ímpar de um dos mais importantes jornalistas, cronistas e escritores cariocas do século XX. Os elementos que estarão em exposição fazem parte do acervo do jornalista no Arquivo Museu de Literatura Brasileira(AMLB) da Casa de Rui Barbosa, importante reduto para a memória nacional. 

    Sérgio Porto (1923-1968), juntamente ao seu heterônimo Stanislaw Ponte Preta, foi um dos revolucionários da imprensa brasileira nas décadas de 50 e 60. Conhecido por criar as “Certinhas do Lalau”, o cronista utilizava o humor e a sátira como forma de crítica política ao conservadorismo e à hipocrisia da sociedade da época. Sendo uma grande inspiração para O Pasquim, ele foi o criador também de várias gírias e neologismos que se integraram ao vocabulário social, como, por exemplo, bossa-nova e a expressão “samba do criolo doido”; além de inovações em formatos jornalísticos, como a entrevista ping-pong e a fala coloquial com o leitor.
     
    Faz parte dos elementos selecionados: documentos pessoais, correspondências, caderninho de telefone, carta trocada com Carlos Drummond de Andrade sobre gíria carioca e uma carta de Jorge Amado, apresentando o livro de Sérgio Porto “A Casa Demolida” à Academia Brasileira de Letras. “Por se tratar de uma mostra de dimensões bem pequenas, escolhemos destacar aspectos da vida privada e da produção intelectual do Sérgio Porto. Pontos de sua trajetória”, esclarece a historiadora e curadora.
     
    A mostra ficará aberta ao público de segunda a sexta, das 10h às 18h, até o dia 01 de fevereiro de 2019. A entrada é franca.
     
    Endereço:
    Fundação Casa de Rui Barbosa
    R. São Clemente, 134 - Botafogo, Rio de Janeiro 
    Imprimir
    Voltar ao alto


    Veja também
    > Migrações Internacionais | Publicada em 18/04/2016
    > História e Culturas Urbanas | Publicada em 15/04/2016
    > Ciclo de Palestras Educação e Esporte - Cancelado | Publicada em 14/04/2016
    > Memória & Informação | Publicada em 13/04/2016
    > abril | Publicada em 05/04/2016
    > Colóquio "Municipalismos" | Publicada em 30/03/2016
    > Perspectivas em conservação preventiva | Publicada em 29/03/2016
    > Projeto “Preservação da Memória das Olimpíadas: processos e ações” | Publicada em 29/03/2016
    > Seminário Internacional Ser ou não ser capital: para uma história da capitalidade | Publicada em 28/03/2016
    > Curso Elaboração de Resumos | Publicada em 22/03/2016
    > Seminário Internacional Dádiva, Cultura e Sociedade | Publicada em 22/03/2016
    > Memória & Informação | Publicada em 21/03/2016
    > O livro para crianças como fonte e objeto do historiador | Publicada em 19/02/2016
    > Políticas Culturais divulga trabalhos aprovados | Publicada em 01/12/2015
  • informe
  • |
  • perguntas frequentes
  • |
  • termos de uso
  • |
  • mapa do site
  • |
  • sobre o site
  • |
  • contato
  • |