Fundação Casa de Rui Barbosa
 
  Procurar  
  • principal
  • > cronologia
  • > civilismo
  • como chegar à Fundação >>

    notícias >>

    receba por e-mail o informe quinzenal >>

    edições de Rui Barbosa on-line >>

    pesquisas ruianas >>

    textos on-line de Rui Barbosa >>

    visita virtual: área de trabalho >>

    cronologia da Campanha - 1909

    Clique na foto para ampliar

    A Cronologia descreve os principais fatos políticos relativos à campanha presidencial de Rui Barbosa, conhecida como Campanha Civilista, nos anos de 1909 e 1910. A seguir, estão detalhados os principais acontecimentos de 1909.

    1909

    Maio
    05/05 - Carlos Peixoto, chefe do chamado "Jardim de Infância", é reconduzido à presidência da Câmara e, no dia seguinte, ao tomar posse, combate o movimento militarista (candidatura Hermes).

    07/05 - RB agradece a reeleição para a vice-presidência do Senado.

    12/05 - É lançada a candidatura do Marechal Hermes à presidência da República.

    É nomeada a Comissão Especial do Código Civil do Senado e Feliciano Pena é reconduzido à presidência.

    15/05 - Hermes apresenta ao presidente da República seu pedido, por escrito, de demissão do cargo de ministro da Guerra.

    17/05 - Carlos Peixoto renuncia à presidência da Cãmara.

    Nesta data, RB saúda, em francês, Anatole France, em visita à Academia Brasileira de Letras, tendo sido seu discurso publicado no Rio de Janeiro pela Imprensa Nacional, em 1909.

    18/05 - Davi Campista desiste da candidatura à presidência da República.

    19/05 - Carta de RB a Francisco Glicério e Antônio Azeredo, conhecida como "Carta de Bronze", na qual o seu autor se liberta dos compromissos com o "Bloco" (grupo político heterogêneo, sem identidade de programas nem convicções) e se manifesta francamente contrário à candidatura militar, não pela condição do candidato, mas por não ter ele jamais revelado qualidades políticas.

    22/05 - Convenção de Congressistas lança oficialmente a chapa Hermes-Venceslau Brás. São Paulo, Bahia e Rio de Janeiro, bem como considerável oposição em vários Estados, articulam uma candidatura paulista e apelam para Rodrigues Alves que, embora apóie um candidato de oposição, recusa a indicação do seu nome.

    23/05 - Em ofício desta data, RB renuncia à vice-presidência do Senado, alegando que fatos de extrema importância social, envolvendo a política nacional, puseram-no em desacordo com a maioria daqueles a quem devia a eleição a esse cargo. Seu pedido é recusado unanimemente, por proposta de Pinheiro Machado, que exalta as extraordinárias qualidades de coração e de espírito de Rui.

    Junho
    14/06 - Morre Afonso Pena, de "traumatismo moral", expressão adotada pela classe política da época.

    18/06 - Nilo Pessanha assume a presidência da República, para completar o quatriênio de Afonso Pena.

    23/06 - Novamente RB renuncia à vice-presidência do Senado, por ofício dessa data. É substituído por Quintino Bocaiúva.

    Julho
    10/07 - Conflito nas galerias da Câmara de Deputados que se generalizou pelas ruas centrais.A desordem começou quando falava o deputado hermista Jesuíno Cardoso.

    Agosto
    02/08 - O Senado começa a debater a mensagem do Presidente Nilo Pessanha pedindo a intervenção no Estado do Rio de Janeiro.

    12/08 - Em carta a Rodrigues Alves, dessa data, RB apela para que aceite ser candidato à presidência da República. Rodrigues Alves, mais uma vez, recusa.

    13/08 - O projeto de lei, reconhecendo como legítima a Assembléia nilista reunida em Niterói, é aprovado, e permitida a intervenção federal no Estado do Rio de Janeiro para assegurar a autoridade da mesma Assembléia. (É a primeira intervenção da série chamada "salvações".)

    19/08 - RB, em carta-resposta a Pedro Gonçalves Moacir, deputado federal pelo Rio Grande do Sul, que insistira na sua candidatura, responde: "[ ... ] não devo, não posso convir de modo algum na situação de candidato".

    20/08 - Rui atende ao apelo de José Marcelino, e aceita a candidatura à presidência da República, realizando intensa campanha.

    22/08 - A Convenção Nacional das forças dissidentes proclama RB e Manuel Joaquim de Albuquerque Lins, presidente de São Paulo, candidatos às eleições presidenciais.

    31/08 - Feliciano Pena comunica a resolução da nova Comissão Especial do Código Civil, reunida pela primeira vez no dia anterior, de manter Rui relator do projeto.

    Setembro
    23/09 - Passeatas dos estudantes das escolas superiores do Distrito Federal, contra o comandante da Polícia Militar, General Antônio Geraldo de Sousa Aguiar, termina com a morte de dois estudantes. Rui protesta contra este acontecimento em discurso no dia seguinte.

    Outubro
    03/10 - Na qualidade de Candidato à presidência da República, RB pronuncia discurso na Convenção das Municipalidades, no Teatro Lírico do Rio de Janeiro. Desenvolvese a Campanha Civilista em oposição ao Marechal Hermes, articulada pelo Partido Republicano paulista, apoiado pelos Estados da Bahia e do Rio de Janeiro. (Francisco Sales, Lauro Müller e Rosa e Silva estão com Pinheiro Machado e apóiam Hermes; Francisco Glicério e Antônio Azeredo, senadores por São Paulo e Mato Grosso, respectivamente, em princípio, são favoráveis a RB.)

    Dezembro
    Excursão eleitoral de RB a São Paulo. Seus discursos figuram na publicação Excursão Eleitoral ao Estado de São Paulo. (São Paulo, Casa Garroux, 1909.)

    31/12 - A Assembléia nilista empossa Oliveira Botelho no Governo do Estado do Rio de Janeiro. (V 1909 - 13/08 e 1910 - 10/01.)

    Imprimir
    Voltar ao alto


    Veja também
    > civilismo
    > Campanha Civilista
    > lembranças da Campanha
    > cronologia da Campanha - 1910
    > referências

  • informe
  • |
  • perguntas frequentes
  • |
  • termos de uso
  • |
  • mapa do site
  • |
  • sobre o site
  • |
  • contato
  • |