Procurar  
  • principal
  • > textos on-line
  • > palestras
  • > Memória & Informação
  • como chegar à Fundação >>

    eventos: programação da Fundação >>

    notícias >>

    Memória & Informação 2018

    Abaixo você encontra palestras apresentadas no ciclo Memória & Informação, dedicado à divulgação de estudos e pesquisas nas áreas de preservação, tratamento e difusão de bens culturais. Este ciclo é promovido quinzenalmente pela Fundação Casa de Rui Barbosa, de março a dezembro. 

    “Atribuição de valor em arquivo de arquitetura: subsídios para conservação de desenhos em papéis translúcidos” (YouTube). João Claudio P. Silva (Arquivista do Núcleo de Pesquisa e Documentação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo – UFRJ). 20 de junho.

    A pesquisa aborda o estudo da percepção de valores a partir da identificação de qualidades, características e significados encontrados nos desenhos de arquitetura em papéis translúcidos, custodiados em instituições responsáveis pela guarda de arquivos de arquitetura. Para tanto, são consideradas questões sobre os fatores que ameaçam a conservação dos desenhos em papéis translúcidos e, consequentemente, o risco da perda de informação pela vulnerabilidade deste tipo de suporte. O estudo enfatiza uma análise interdisciplinar pela elaboração de um instrumento metodológico de estabelecimento de critérios que justifiquem decisões sobre prioridades para a conservação dessas fontes documentais da arquitetura.
     

    “O Estado Novo e os arquivos: breves reflexões” (YouTube). Renata Regina Gouvêa Barbatho (Doutora em História pela Uerj e mestre em Ciência da Informação pela UFRJ). 6 de junho.

    A palestrante tem por objeto apresentar alguns aspectos da área de arquivologia ao longo do Estado Novo (1937 - 1945), tanto em relação aos impactos sofridos pelas instituições diante das inovações propostas pela reforma administrativa para a racionalização da máquina estatal, quanto em relação as suas contribuições particulares na construção do projeto de nação estado-novista, com a manutenção de suas funções sociais de guarda da memória, principalmente no que tange a participação do Brasil na comemoração dos Centenários de Portugal em 1940.
     

    "Rui Barbosa e a escrita da História da Abolição: Festas, crônicas e memórias" (YouTube). Adriana Valentim Beaklini (Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro/SEEDUC-RJ). 23 de maio.

    A conferencista abordará o processo de consolidação da educação profissional na Estrada de Ferro D. Pedro II, entre os anos de 1882 a 1906, através da implantação da Escola de Primeiras Letras e da Escola Prática de Aprendizes, criadas nas oficinas da empresa, no bairro do Engenho de Dentro, na cidade do Rio de Janeiro. Diante das dificuldades na localização de fontes sobre as instituições escolares, optou por transitar pela trajetória de sujeitos, que entrelaçaram suas vidas com o espaço estudado, visando analisar a circulação e a apropriação de modelos de educação profissional nesta empresa de transporte, na virada do século XIX.
     

    "As mobilidades no (e do) centro de operações Rio: um olhar sobre a cidade inteligente Rio" (YouTube). João Alcantara de Freitas (Mestre e doutor em História, Política e Bens Culturais pelo Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da Fundação Getúlio Vargas - CPDOC/FGV). 9 de maio.

    Serão levantadas algumas das questões debatidas na tese de doutorado “A Invenção da Cidade Inteligente Rio: uma análise do Centro de Operações Rio pela lente das mobilidades (2010 – 2016)”, defendida em março de 2018. A referida pesquisa explora como o Centro de Operações Rio foi utilizado durante a gestão do ex-prefeito Eduardo Paes para a criação e manutenção da imagem do Rio de Janeiro como smart city. Pautada pelo Paradigma das Novas Mobilidades, a tese perpassa por tópicos como mobilidade de políticas, mobilidades urbanas e mobilidades de megaeventos.

     

    “O acervo do Arquivo–Museu de Literatura Brasileira: desafios para a preservação de um conjunto artístico em arquivos e coleções literárias do século XX” (YouTube). Ellen Ferrando, (Instituto Moreira Salles/IMS. Mestre em Memória e Acervos e bacharel em Artes Visuais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul). 11 de abril.

    Pesquisa realizada no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Memória e Acervos da Fundação Casa de Rui Barbosa e que tratou de analisar os aspectos inerentes à preservação de um conjunto artístico em meio ao acervo literário do Arquivo-Museu de Literatura Brasileira. O estudo procurou mostrar que o processamento destes objetos deveria levar em conta a sua realidade dentro de um sistema informacional de características tanto arquivísticas como museológicas. Partindo desta análise foram sugeridas e debatidas estratégias de conservação e difusão com o intuito de fomentar a preservação deste conjunto.
     

    “A literatura de cordel na Fundação Casa de Rui Barbosa: organizando uma memória dispersa” (YouTube). Carolina Carvalho Sena (Mestre em Memória e Acervos pela Fundação Casa de Rui Barbosa). 28 de março.

    A palestra exprime resultado da dissertação de mestrado em memória e acervos, apresentada na FCRB. Seu objetivo foi recuperar a trajetória da literatura de cordel na instituição, que possui exemplares raros, inclusive com publicações de pioneiros, como Leandro Gomes de Barros. O acervo, atualmente, corresponde ao material digital mais consultado no Serviço de Biblioteca.
     

    "A prática biblioteconômica no Real Gabinete Português de Leitura: do Império a Belle Époque" (YouTube). Fabiano Cataldo (Bibliotecário/UniRio, mestre em Memória Social/UniRio, doutorando em História Política/UERJ e professor Adjunto 1 de História do Livro e das Bibliotecas e Políticas de Preservação de Acervos Bibliográficos/UniRio). 14 de março.

    A palestra abordará aspectos e características das práticas biblioteconômicas dentro do Real Gabinete Português de Leitura. Para isto, elegeu-se uma temporalidade que começa na sua fundação em 1837 até 1921, com a doação da Biblioteca de João do Rio. Seguindo a trajetória da instituição, os recortes evidenciarão as facetas da gestão, administração e formação do acervo. 

    Imprimir
    Voltar ao alto


    Veja também
    > Memória & Informação
    > Memória & Informação 2017
    > Memória & Informação 2016
    > Memória & Informação 2015
    > Memória & Informação 2014
    > Memória & Informação 2013
    > Memória & Informação 2012
    > Memória & Informação 2011
    > Memória & Informação 2010
    > Memória & Informação 2009
    > Memória & Informação 2008
    > Memória & Informação 2007
    > Memória & Informação 2006
    > Memória & Informação 2005
    > Memória & Informação 2004

  • informe
  • |
  • perguntas frequentes
  • |
  • termos de uso
  • |
  • mapa do site
  • |
  • sobre o site
  • |
  • contato
  • |