Fundação Casa de Rui Barbosa
 
  Procurar  
  • principal
  • > edições à venda
  • > língua e literatura
  • como chegar à Fundação >>

    notícias >>

    receba por e-mail o informe quinzenal >>

    textos on-line >>

    edições de memórias, textos críticos e obras de ficção

    :: A família Agulha (romance humorístico). Luís Guimarães Jr. Organização, edição e notas: Flora Süssekind. Publicado pela primeira vez em folhetins, no Diário do Rio de Janeiro, entre 21 de janeiro e 26 de abril de 1870, o romance A família Agulha  de Luís Guimarães Júnior teve sua primeira edição em livro, ainda em 1870, pela H. Garnier.
    A presente edição resulta do cotejo cuidadoso da publicação em folhetim com a edição em livro e é enriquecida por abundantes notas que ajudam o leitor a compreender não apenas os usos idiomáticos peculiares à época, mas também o contexto cultural em que a ação se desenrola. Coedição Vieira & Lent. 2003. 402 p. R$ 35,00

     

    :: Alguns escritos. Mário de Alencar. 1995. 112 p. R$ 10,00

     

    :: A todo transe!... Emanuel Guimarães. Romance, lançado em 1902, que retrata os costumes políticos dos primeiros anos da República no Brasil. Considerado por Wilson Martins, em História da Inteligência Brasileira, "o melhor romance político da Primeira República, de alta qualidade balzaquiana", a obra poderá ser conhecida e admirada pelas novas gerações a partir desta criteriosa edição, cujo texto foi estabelecido pelo professor Adriano da Gama Kury. 1997. 260 p. R$ 15,00

     

     

    :: Belém do Grão-Pará. Dalcídio Jurandir. Introdução de Marta de Senna e Soraia F. Reolon Pereira. Reedição do romance do escritor paraense publicado, em 1ª edição, no ano de 1960. Coedição EDUFPA. 2004. 550 p. R$ 50,00

     

    :: Dalcídio Jurandir: romancista da Amazônia. Organização de Benedito Nunes, Ruy Pereira e Soraia Reolon Pereira. Coedição SECULT. 2006. 264 p. R$ 30,00

     

    :: Graves e frívolos. Gonzaga Duque. Preparo da edição e estudo introdutório Vera Lins. Coedição 7 Letras. Reedição do livro, lançado em 1910, que reúne alguns artigos do crítico de artes plásticas e ficcionista Gonzaga Duque, publicados na revista Kosmos, a partir de 1904. Em doze artigos, Gonzaga Duque discorre sobre artistas como Puvis de Chavannes, Facchinetti e Castagneto, bem como sobre artes aplicadas, em "Remodelação do mobiliário", e sobre questões urbanas, em "A estética das praias". 1997. 110 p. R$ 10,00

     

    :: História de revistas e jornais literários. Vol. II. Helena Cristina Cavalcanti de Lira, Homero Senna, Ivette SSavelli S. do Couto e Plínio Doyle. 1995. 270 p. R$ 10,00

     

    :: Impressões de um amador: textos esparsos de crítica (1882-1909). Coletânea de textos esparsos de Gonzaga Duque, publicados em diversos jornais e revistas. Organização Júlio Castañon Guimarães e Vera Lins. Coedição Editora UFMG. 2001. 388 p. R$ 36,00

     

    :: Mattos, Malta ou Matta? Aluísio Azevedo. Apresentação de Plínio Doyle. Prefácio de Josué Montelo. Coedição Nova Fronteira. 1985. 192 p. R$ 10,00

     

    :: Mocidade morta. Gonzaga Duque. Notas e estudos de Adriano da Gama Kury e Alexandre Eulálio. 1995. 294 p. R$ 15,00.

     

     

     


     

    :: A pastoral de Santa Rita Durão, estabelecimento de texto e posfácio de Ronald Polito, 2007.
    Trata-se de uma importante pastoral assinada por d. João Cosme de Nossa Senhora da Porta, bispo de Leiria, e publicada em 28 de fevereiro de 1759, mas que efetivamente foi escrita por frei José de Santa Rita Durão, o conhecido poeta autor do poema épico do descobrimento da Bahia Caramuru. A pastoral apóia a carta régia que acusa os padres da Companhia de Jesus de envolvimento com o atentado de 3 de setembro de 1758 contra a vida do rei de Portugal, d. José I. R$ 9,00

     

     

    :: O professor Jeremias. Léo Vaz. Estabelecimento do texto e notas de Adriano da Gama Kury. É um romance de leitura agradável, subdividido em 65 capítulos. A prosa do autor é considerada machadiana por muitos críticos. Talvez por essa razão as nove edições anteriores a esta tenham se esgotado rapidamente, desde a primeira, que data de 1920. Coedição Bom Texto. 2001. 234 p. R$ 26,00

     

     

     

    :: Tropos e fantasias. Virgílio Várzea e Cruz e Sousa. Ed. fac-similar. Introdução de Ledo Ivo. Coedição FCC. 1994. 72 p. R$ 10,00

     

    :: Uma vida. Plínio Doyle. Prefácio de Raquel Valença. Co-ed. Casa da Palavra. 1999. 132 p. R$ 25,00

     

    :: Vida ociosa. Godofredo Rangel. Estabelecimento do texto de Adriano da Gama Kury. Prefácio de Autran Dourado Coedição Casa da Palavra. 2000. 110 p. R$ 22,00

     

     

    Imprimir
    Voltar ao alto


    Veja também
    > estudos
    > língua e literatura
    > literatura popular em verso
    > vocabulário do português medieval

  • informe
  • |
  • perguntas frequentes
  • |
  • termos de uso
  • |
  • mapa do site
  • |
  • sobre o site
  • |
  • contato
  • |