Vista do lago frontal, a frente da Casa de Rui Barbosa. Foto: Ivo Gonzalez

No início da restauração do lago frontal foi descoberto que parte de sua borda estava encoberta pelo solo, consequência da elevação de nível feita no jardim durante seus anos de existência. Por isso, foi necessário realizar uma escavação em volta do lago para que fosse possível recompor volumetricamente esta área. Esse trabalho foi feito com um molde em resina e fibra de vidro, para manter a uniformidade da curva original da borda do lago. O fundo do lago possuía materiais não originais, como piche (provavelmente usado para impermeabilização) e partes de tinta azul, também provenientes de intervenção passada. Esses materiais foram removidos para a limpeza do lago e por fim foi aplicado um impermeabilizante em toda a superfície, protegendo-o contra vazamentos. A troca de água fez-se necessária para eliminação de resquícios de produtos químicos e agora o lago já se encontra novamente preenchido, com água e com o retorno das carpas, habitantes do local.

Vista do lago frontal, a frente da Casa de Rui Barbosa. Foto: Ivo Gonzalez
Vista do lago frontal, a frente da Casa de Rui Barbosa. Foto: Ivo Gonzalez