Conservação Preventiva - Museu da Casa de Rui Barbosa 

Conservação programada

Em decorrência dos altos custos das intervenções de restauro no patrimônio edificado, não só do ponto de vista econômico mas em relação aos impactos verificados na própria obra e no meio ambiente em geral, há uma tendência para sistematizar os procedimentos de manutenção.

A prática da manutenção, embora não seja uma novidade do campo edilício, não se verifica como uma atuação racional em prol de preservação. Ao se encarar a manutenção como uma ação que previne e evita a necessidade de intervenções de maior porte, a sua aplicação se torna um instrumento da maior importância na conservação preventiva dos monumentos antigos.

A manutenção, no âmbito da conservação preventiva, permite controlar de modo racional as transformações do monumento em estreita relação com a natureza dos materiais, as características técnicas e a interação com o ambiente circundante, e então programar as intervenções de restauro necessárias.

Os planos de conservação programada comportam ainda vantagens econômicas, pois além de reduzir a emergência e a necessidade de trabalhos fragmentados e urgentes, permitem o planejamento dos investimentos para preservação dos bens culturais de forma sustentável.

 

 > Conservação Programada das Coberturas (ver mais)