Conservação Preventiva - Museu da Casa de Rui Barbosa 
  • 08
  • 13
  • 09
  • 02
  • 03
  • 05
  • 12
  • 06
  • 01
  • 10
  • 11
  • 04
  • 07

Antiga cavalariça

Dentre os elementos do conjunto arquitetônico tombado, destaca-se a antiga cavalariça, por suas proporções e linguagem arquitetônica. Atualmente é local de guarda e exposição de três veículos de tração animal – Landau, Coupê e Vitória – e do automóvel Benz, todos pertencentes à família Rui Barbosa.

Com mais de um século de existência, a antiga cavalariça impunha uma ação de conservação completa e complexa, que abrangesse desde a sua cobertura até os revestimentos, ornatos, frisos e modenatura. Trata-se de um cuidado revelado necessário em função do envelhecimento natural dos tecidos históricos, a ação de agentes biológicos como térmitas e fungos, além de alterações ambientais do seu entorno e de seu uso como espaço de trabalho, bem como de patologias verificadas em função de intervenções anteriores que alteraram seus revestimentos.

As obras realizadas em 2008 abrangeram os seguintes serviços:

• Conservação da cobertura, com remoção do conjunto de telhas francesas, recuperação da estrutura de madeira do telhado existente, proteção do madeiramento contra insetos e micro-organismos, revisão das instalações, instalação de subcobertura, recuperação dos rufos e cumeeiras, revisão de todas as calhas em cobre e colocação de novas telhas cerâmicas;

• Restauração do lambrequim, com reposição das partes faltantes;

• Restauração das fachadas, incluindo a remoção de argamassa irregular e repintura dos panos de fachada com argamassas e tintas à base de cal, impermeabilização das platibandas, restauração dos elementos decorativos, frisos, ornatos e modenaturas, execução da nova tela protetora da fachada de acordo com o projeto, fechamento de vãos irregulares na fachada e colocação de filtros nas aberturas da fachada dos fundos;

• Conservação dos forros de madeira, com recuperação de todo barroteamento do forro e proteção contra insetos e microorganismos;

• Recuperação das alvenarias internas, com a remoção das instalações elétricas embutidas e repintura das paredes internas;

• Execução de novas instalações elétricas;

• Recuperação de todos os pisos internos e da entrada da garagem;

• Recuperação das esquadrias de madeira;

• Instalação de novo sistema de iluminação.

O resultado da intervenção é bastante satisfatório, apesar de os trabalhos de restauração das argamassas, rebocos e pinturas, tanto externas como internas, ainda não terem alcançado o nível esperado. Diversos fatores podem ter contribuído para o aspecto atual da pintura, com manchas, como a remoção parcial das argamassas existentes, o excesso de umidade das paredes e a porosidade da tinta à base de cal.